sábado, 1 de maio de 2010

Assombrado

Clara e Juliana são melhores amigas e moram na mesma rua desde criança. Desde bem pequenininhas ouviam histórias sobre uma casa abandonada que havia na rua de baixo. Diziam que um homem tinha morrido sozinho naquela casa, e que só depois de 3 dias foram saber que ele estava morto e tiraram o corpo dele de lá. Elas sempre acharam que era mentirinha, só uma história que contavam para assustá-las. Agora já adolescentes, depois de assistir um filme de terror se lembraram da história que ouviram durante sua infância. 
- Ju, lembra daquela história que contavam pra gente?
- Que história?
- Aquela da casa da rua de baixo.
- Ah! lembro sim. A gente morria de medo até de passar lá na frente daquela casa. - Lembrou juliana
- Bem que a gente podia ir lá né? Tirar a prova, ver se é assombrada mesmo ou não.
- Você está louca? morro de medo de fantasmas. Vai que eles existem!
- Ah, não vai me dizer que você está com medo de um fantasminha?! -  Zombou Clara.
- Para com isso, não tenho medo. Vamos lá amanhã à tarde!
- Combinado.
- Combinado. - Confirmou Ju.
Já era tarde do outro dia quando Juliana tocou a campainha da casa da amiga.
- Já estou indo! - Clara gritou de dentro de casa.
- Oi! o que está fazendo aqui? - disse Clara ao abrir o portão.
Clara olhou a amiga de cima à baixo, ela estava com uma bolsa de alça transversal.
- Vamos na casa abandonada, lembra? 
- Ah é! 
- Então, vai se vestir e vamos.
Clara colocou a roupa e levou uma bolsa também. Ao chegarem na casa abandonada pularam o muro baixo para entrar. Quando abriram a porta ela fez um rangido muito alto, tão alto que elas deram até um passo para trás. olharam ao redor para as paredes da sala, eram brancas, mas como a casa já era velha, estavam meio bege, e tinha mofo perto do rodapé. Em algumas partes a tintura branca da parede estavam descascando.
Entraram muito atentas a qualquer coisa estranha. De repente Juliana dá um grito.
- O que foi? Viu alguma coisa? - Perguntou Clara
- U-u-uuum-m vu-uu-lt-to. Tinha alguém ali, eu vi! Eu vi!
- Aonde?
- Ali! - Juliana apontou para um outro cômodo fechando os olhos com força, como se alguém pudesse abri-los e a forçasse a ver aquilo de novo.
Clara caminhou lenta e cautelosamente até lá. Quando chegou na porta viu a figura fantasmagórica parada a uns 2 metros dela, e a encarando. Ela queria gritar, mas o pavor era tanto que era como se suas cordas vocais tivesses sumido dali. Ela abriu a boca, mas nenhum som saiu. Nesse momento o fantasma se desmaterializou. Ela saiu correndo para a sala e puxou o braço da amiga.
- Vamos embora daqui AGORA! - Explodiu Clara.
- O que você viu?
- Quando a gente sair daqui eu te falo, mas agora anda, sai daí.
As duas correram para fora, e foram para a casa de Clara. Chegando lá ela contou o que tinha visto à amiga. 
- Não quero voltar lá nunca mais, nunca!
- E nem eu. Meu Deus, é real!
- Por incrível que pareça é. 
- Então aquela frase é real também. - Refletiu Juliana.
- Que frase?
- "Existem mais coisas entre o céu e a terra do que supõe a nossa vã filosofia".
- É.

2 comentários:

  1. com certeza existem! =D
    mas por enquanto, prefiro preservar o mistério o.o huahuahu
    bem show ;D

    ResponderExcluir
  2. meu pai diz que ja viu um. Eu nunca vi. prefiro preservar o mistério +1
    Obrigada.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Flickr

Link-me!



Clique para ver mais opções de buttons

Translate

Real Time Web Analytics